Autismo

O autismo é uma perturbação no desenvolvimento do cérebro que e faz com que as pessoas tenham dificuldade em se exprimir com o exterior. Esta perturbação, por norma, nota-se nos primeiro anos de vida da criança.

Quando o autismo se apresenta em forma menos grave, as crianças geralmente apresentam boas capacidades intelectuais, contudo mostram que existe algumas perturbações sociais e comportamentais. Apesar de o autismo ser uma doença sem cura existem tratamentos que podem melhorar a qualidade de vida dos autistas.

 

Quais as suas causas?

Nos dias de hoje, ainda não se descobriu a verdadeira causa do autismo, no entanto é provado cientificamente que esta doença se desenvolve a partir de anomalias do cérebro. Ultimamente, de acordo com alguns registo de crianças com autismo, têm se vindo a suspeitar que esta perturbação tem acontecido em crianças portadoras de alguns síndromes genéticos, de esclerose tuberosa, de fenilcetonúria e rubéola congénita.

Um outro fator em estudo, é o autismo estar relacionado com a gravidez, o parto ou de natureza ambiental (exposição a substâncias químicas ou desequilíbrios metabólicos).

 

Como se manifesta?

O autismo pode apresentar-se de diferentes formas, dependendo da idade. Na infância (18 a 24 meses) pode não se detetar logo a doença, conforme a criança vai crescendo os seus comportamentos vão sendo mais evidentes, normalmente entre os 2 e 6 anos.

Quando existe alguns destes comportamentos na criança é importante a realização de exames para se perceber se sofre desta perturbação.

 

Nível social

O seu desenvolvimento em relação à comunicação com outras pessoas é diferente do habitual; quando a criança se isola ou interage de forma diferente e estranha.

Comunicação

A criança não se exprime a partir de gestos (apontar ou acenar) aos 12 meses; Aos 16 meses não exprime palavras simples; Aos 24 meses não consegue forma frases com pelo menos duas palavras.

Pensamento e comportamento

Falta de imaginação e rigidez no pensamento. Comportamentos com base em rituais, alguma obsessão e tendência a ser uma criança rotineira.

Outras demonstrações

  • Epilepsia;
  • Atraso mental;
  • Impulsividade;
  • Hiperatividade;
  • Ausência de medo;
  • Comportamentos a comer e a dormir estranhos;
  • Falta de atenção;
  • Etc.

 

Como se trata o autismo?

Nos dias de hoje, existem medicamentos e terapias especializadas para autistas com o objetivo de lhes dar a maior qualidade de vida ao longo do seu desenvolvimento. Atualmente, já são desenvolvidos serviços adequados, acesso a informações e treinos onde as crianças que sofre de autismo podem crescer e aprender ao seu próprio ritmo.

Existem tratamentos, que embora não curem o autismo, melhoram a situação da doença. Existe também medidas educativas que ajudam, tal como os tratamentos, a atenuar os comportamentos dos autistas e a dar-lhes maior independência.

Este tratamento pode ser também feito, a partir da medicação, existem antidepressivos, antipsicóticos ou medicamentos usados para a hiperatividade, que auxiliam a doença. O tratamento do autismo deve começar assim que o mesmo for diagnosticado e deve ser ajustado conforme o seu grau.

Existe outro tipo de tratamento que é com base em terapias. Este tratamento terapêutico pode não ser de origem médica, ou seja, tem por base abordagens educativas e comportamentais. Existem ainda tratamentos biomédicos, estes alteram a dieta da pessoa, regularizando o sistema imunitário e outros.

 

Saiba mais sobre esta doença ou outras no Hospital Soerad ou caso sofra de algum destes sintomas ou algum familiar seu, marque uma consulta a partir do número 261 339 650.

2019-11-12T12:36:17+00:00