Reabilitação Vestibular

Reabilitação Vestibular

A reabilitação vestibular (RV) é um método terapêutico que consiste em programas de exercícios específicos, que coordenam os movimentos dos olhos e da cabeça, que visam a recuperação do equilíbrio e alívio das vertigens, causadas por patologia vestibular, quer periférica, quer central.

São utilizados protocolos adaptados a cada tipo e fase da patologia, em que a Fisioterapia especializada individualiza os exercícios a realizar a cada paciente.

Desempenha um papel complementar, e em certos casos preferencial, à terapêutica medicamentosa.

 

Está indicada nas seguintes situações:

  • Deficits vestibulares unilaterais, de instalação súbita;
  • Deficits vestibulares bilaterais;
  • Deficits multissensoriais no idoso;
  • Síndromes vestibulares centrais;
  • Vertigens psicogénicas;
  • Vertigens psicogénicas;
  • Vertigens posicionais;
  • Vertigens visuais.

 

Em RV são utilizados alguns equipamentos e técnicas específicas:

 

Cadeira rotatória– instrumento indispensável à RV, que fornece estimulação mais fisiológica do ouvido interno. O seu eixo de rotação corresponde ao eixo vertical de rotação da cabeça do paciente, atingindo velocidades que podem variar de 10º/s a 400º/s

 

Estimulador optocinético– proporciona a criação simultânea de conflitos sensoriais, que diminuem um excessivo componente visual.

 

Plataforma de Posturografia Dinâmica Computorizada – equipamento utilizado para avaliação funcional – Posturografia – e intervenção, num contexto de Reabilitação Vestibular.

 

O sistema que dispomos é a Balance Rehabilitation Unit (BRU).

 

Posturografia Dinâmica Computorizada (PDC) – exame que permite diagnosticar e caracterizar as alterações posturais e do equilíbrio, contribuindo para o planeamento da RV – as alterações funcionais identificadas permitem desenhar protocolos de RV e avaliar a evolução do programa de reabilitação.

 

Reabilitação Vestibular na Plataforma – de acordo com a avaliação clínica e funcional, é construído um programa personalizado de reabilitação, onde o paciente é sistematicamente submetido aos estímulos que geram maior conflito no seu sistema de controlo postural, com objectivo de acelerar os mecanismos de neuroplasticidade, o que conduz à diminuição da sintomatologia e desenvolvimento de estratégias de equilíbrio mais adequadas.

Habitualmente não se realiza isolada, mas associada a treino proprioceptivo em superfícies instáveis, treino de marcha com obstáculos, etc…

 

A intervenção em RV pode incluir ainda um Programa de Prevenção de Quedas, que tem como objectivos promover a autonomia, segurança e independência do paciente, diminuindo os riscos de quedas, desenvolver estratégias de equilíbrio adequadas e eficazes, maximizar os limites de estabilidade, diminuir o medo de cair e incentivar a actividade funcional do dia-a-dia.

 

 

Dr Tiago Fuzeta Eça

Médico Otorrinolaringologista

 

Especialidade: Otorrinolaringologia

 

Outros artigos interessantes

2018-07-03T12:22:52+00:00