A Osteopatia é um sistema autónomo de cuidados de saúde primário, que se baseia no diagnóstico diferencial, bem como no tratamento de várias disfunções e prevenção da saúde, sem o auxílio de fármacos ou cirurgia, enfatizando assim a sua ação centrada no paciente. Teve a sua origem no final do século XIX quando o médico norte-americano Andrew Taylor Still identificou a inter-relação entre o sistema músculo-esquelético e o resto do corpo. O corpo possui a capacidade de se reequilibrar. É função do osteopata ajudar neste processo através de procedimentos manuais. O tratamento osteopático permite ao paciente conseguir uma postura correta melhorando a sua capacidade funcional, recuperando a harmonia corporal promovendo-lhe bem-estar e saúde. O trabalho do osteopata é também preventivo, evitando que disfunções assintomáticas se tornem dolorosas. É eficaz como complemento a práticas médicas e baseia-se numa abordagem holística encarando o corpo como um todo inserido no seu meio ambiente. A Osteopatia é uma ciência cada vez mais necessária a uma vida saudável.

Como funciona a Osteopatia?

Esta especialidade utiliza várias técnicas terapêuticas manuais entre elas a da manipulação do sistema músculo-esquelético (ossos, músculos e articulações) para ajudar no tratamento de doenças. É uma ciência terapêutica global, cujo principal objetivo é restaurar o bom funcionamento do todo orgânico.

O que trata a Osteopatia?

A Osteopatia contribui para o equilíbrio postural e minimiza os síndromes dolorosos do corpo
humano, tais como:

  • Dores de costas (hérnias discais, ciáticas);
  • Dores de cabeça, cervicais, dorsais e lombares;
  • Dores musculares, ombros;
  • Dores reumatológicas;
  • Dores articulares;
  • Dores de natureza postural;
  • Contraturas;
  • Espasmos musculares;
  • Tendinites;
  • Lesões desportivas;
  • Disfunções traumáticas;
  • Stress/tensão muscular;
  • Entre outras.

Autor: Inês Raimundo
Especialidade: Osteopatia
Data: 2017-03-07

Outros artigos interessantes